Raiz do Mal

São os pés que nos distiguem das árvores enraizadas na terra.

Vaguemos sem rumo arrastando estas extremidades e calcando o chão sujo que deixámos para trás.

Não se erguem memórias desses passos dados sem nexo.

A raiz do mal brota na planta do pé, envenena com o movimento e sequestra um corpo e uma alma.

A porta da rua sente-se demasiado intransponível e os sonhos encolhem quando as raízes se enterram.