Forno

Comprei um forno. Pergunto-me como aguentei mais de 2 anos sem um. Já tinha sentido a sua falta várias vezes mas ele nunca se tornou imprescindível.

Continua a não ser mas, mais do que nunca, senti-o necessário. 

O primeiro forno que comprei, há mil anos, foi por sugestão repetida da minha mãe. Não se cansou de me vender que com um forno poderia fazer tudo muito mais facilmente. Era uma limpeza.

Nunca senti que fosse um instrumento mágico.

Penso agora que pode ser bastante útil. Permite-me variar a alimentação e sobretudo expandir a imaginação.