Décimo Sexto

No décimo sexto dia de isolamento social abri uma garrafa de vinho.

Tinha evitado ir ao armário onde guardo as garrafas porque queria assegurar um estilo de vida plenamente saudável. Não é que um copo de vinho faça mal porém não queria provar álcool.

Por outro lado, sei que um copo de vinho pode ser inspirador. Mas não me quero inspirar demasiado nestes dias. Quero sentir a dureza das horas sem anestesia. Quero o peso dos dias no corpo. Quero que esta realidade inesperada me encontre desperto.

Hoje abri uma garrafa e bebi um copo porque me apeteceu. A vida segue em frente e esta fase faz parte de uma vida comum.