12 de Março, 12 Meses

Há exactamente um ano empacotei as coisas no escritório e à tarde comecei a trabalhar desde casa. Antes de sairmos estivemos reunidos para prepararmos o desconhecido.

Mergulhámos num mundo sem visibilidade mas eu pensei que em duas semanas a vida, como a conhecia, voltaria à sua normalidade. Sem qualquer beliscão.

Não foi assim mas não me posso lamentar. Os meses passaram mas não me visitou a tragédia e conservo ainda a ténue e infundada esperança de que tudo se orientará rapidamente. Talvez com a chegada do sol.

Interiorizei que a minha capacidade para antecipar o futuro está influenciada pela realidade estável na qual me permitiram crescer.

Ainda não assumo que o mundo moderno, conforme o conheço, pode desligar-se sem aviso. Ainda não reconheço que já não somos os mesmos.